Vale a pena comprar imóvel pelo Minha Casa, Minha Vida?

O programa Minha Casa, Minha Vida tornou-se o principal meio de aquisição da casa própria, hoje temos diversas construtoras participantes, podemos até dizer que ocorreu a adesão de todas aquelas que possuem imóveis na faixa (valor) do programa em cada município. Em meio a tanta propaganda feita pelo governo e pelas construtoras muita gente fica em dúvida se realmente é um bom negócio entrar em um financiamento do MCMV pela Caixa Econômica Federal ou pelo Banco do Brasil, para esclarecer essa questão analisaremos os pontos positivos e negativos de um financiamento por meio do programa habitacional do Governo Federal.


Entenda como funciona

Antes de tudo precisamos explicar como funcionar o financiamento, ele basicamente está dividido em duas faixas, uma que é destinada exclusivamente a famílias com renda de até R$1.600 (baixa renda, moradia social) e outra que é para quem ganha acima dessa valor até o valor limite que é 10 salários mínimos.

Para quem ganha até R$1.600

Quem ganha até esse valor entra no perfil de vulnerabilidade social, se não fosse o Minha Casa, Minha Vida essas famílias não teriam condições de entrar em um financiamento habitacional. O governo chega a subsidiar até 96% do valor dos imóveis, isso porque as famílias pagam apenas 5% da renda bruta declarada durante 10 anos (120 meses). Com isso as parcelas ficam entre R$25,00 e R$80,00 por mês.

Diante dessa situação não há como negar que o programa é muito vantajoso, afinal o valor das parcelas ficam entre R$25,00 e R$80,00 por mês, o que é muito menor que qualquer aluguel. O prazo de pagamento também é muito curto, a família tem que pagar as prestações durante 10 anos, independente do valor do imóvel para o qual foi contemplada, pois as parcelas são fixadas em 5% da renda bruta declarada.

A inscrição para quem ganha até R$1.600 é mais complicada pois não pode ser feita a contratação diretamente com a Caixa ou com uma construtora, a família precisa se cadastrar na prefeitura e depende de sorteios, visto que a demanda é muito grande.

Famílias que ganham mais de R$1.600

Para quem ganha mais de R$1.600 (mil e seiscentos) o programa deixa de ser tão vantajoso, no entanto ele ainda é melhor que fazer um financiamento habitacional com um banco privado, isso porque o governo concede até R$25.000 (vinte e cinco mil reais) de subsídio para a compra de um imóvel dependendo da renda e do valor.

Com o valor do subsídio é limitado em até R$25.000 o prazo de pagamento do imóvel é de 360 meses (30 anos) para tornar as parcelas ainda mais acessíveis, os juros também são reduzidos. Sem dúvida que o subsídio pode ajudar na compra de um imóvel, no entanto como o valor é calculado com base na sua renda, quem ganha valores maiores pode não ter direito ao subsídio para a compra de um imóvel. Mas vale lembrar que você poderá utilizar os recursos do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) para abater no valor do imóvel.

Conclusão

Para quem ganha até R$1.600 é inegável que o Minha Casa, Minha Vida é vantajoso, afinal os imóveis chegam a ser subsidiados até 96% pelo Governo Federal. Já para quem ganha acima desse valor o subsídio está limitado a R$25.000 (vinte e cinco mil reais) dependendo da sua renda e do valor do imóvel, no entanto ainda sim o programa se torna vantajoso pois os juros serão reduzidos.

Se você for entrar em um financiamento do MCMV faixa de renda II vale também tomar cuidado, pois a dívida é de longo prazo, serão 30 anos para pagar o imóvel por isso é preciso ter estabilidade financeira e pensar bem antes da aquisição para não se arrepender depois. A renda pode ser somada com outros integrantes da família, no entanto o valor da parcela não poderá ultrapassar 30% desse valor.
0 comentários:
Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...